Posts Tagged ‘adelia prado

Minha alma debate-se, tentada à tristeza e seus requintes. Meu pai morto não vai repetir este ano: “Nada como um frango com arroz depois da missa”. Minha irmã chora porque seu marido é amarradinho com dinheiro e ela queria muito comprar uns festões, uns presentinhos mais regalados, ô vida, e ele acha tudo bobagem e […]

Constelação

In: Poesia

29 mar 2015

Adélia Prado Olhava da vidraçaderramar-se a Via Lácteasobre a massa das árvores.Por causa do vidro, da transparência do ar,ou porque me nasciam lágrimas,tinha a impressão de que algumas estrelasmergulhavam no rio,outras paravam nos ramos.Passageiros dormiam,eu clamava por Deuscomo o cachorro que sem ameaça aparentelatia desesperado na noite maravilhosa:Ó Cordeiro de Deus, ó Cruzeiro do Sul,ó […]

***   Um dica de Carlos Magno T. Ribeiro

Quatro vezes Adélia

In: Poesia

16 set 2014

1. Estou com muita saudade de ter mãe,  pele vincada, cabelos para trás, os dedos cheios de nós, tão velha, quase podendo ser a mãe de Deus — não fosse tão pecadora. Mas esta velha sou eu, minha mãe morreu moça, os olhos cheios de brilho, a cara cheia de susto. Ó meu Deus, pensava que […]

Igreja

In: Poesia

1 set 2014

Adélia Prado Igreja é o melhor lugar. Lá o gado de Deus para pra beber água, rela um no outro os chifres e espevita seus cheiros que eu reconheço e gosto, a modo de um cachorro. É minha raça, estou em casa como no meu quarto. Igreja é a casamata de nós . Tudo lá […]

Missa das 10

In: Poesia

26 jul 2014

Adélia Prado Frei Jácomo prega e ninguém entende. Mas fala com piedade, para ele mesmo e tem mania de orar pelos paroquianos. As mulheres que depois vão aos clubes, os moços ricos de costumes piedosos, os homens que prevaricam um pouco em seus negócios gostam todos de assistir a missa de frei Jácomo, povoada de […]

Adélia Prado A Deus entrego meus pecados, entrego-os a quem pertencem, não a Satanás que é um dos nossos e sofre também o tormento dos filhos que têm o Pai ocupado em alimentar pardais. Nem torres que tocam a lua, ou o que quer que nos roube o fôlego, fazem assomar Seu rosto. Por que […]

Após ver e ouvir Adélia Prado no RODA VIVA: Quisera soltar seus versos fazê-los voar pelos céus como chuva de meteoros e todos pudessem ver: Ah, como ficaria bela a terra! Adélia Prado, Adélia simples, pura, generosa, tuas palavras são verdade, E como segurar a emoção de leitura tão intensa daqueles teus simples versos? Adélia, […]

“O que dá dignidade a uma pessoa é a possibilidade de pertencer a algo. Os símbolos nunca podem ser reduzidos, e é por isso que eles têm a força luminosa do divino, porque me ligam a um centro de significação e sentido, embora não os entenda. Quando compreendo o mistério do símbolo, eu o destruo […]


"A religião não era o ópio e sim a poesia da humanidade".

(Harold Bloom sobre Flannery O'Connor).

  • alice franca leite EX´-Cafezeiro: Gosto demais dos autores católicos como Lucio Cardoso:passei mais de 3 anos ruminando o seu Diário [...]
  • sergio: Olá querido, Enzo! Tudo bem!Seu blog faz muita falta! Era charmoso e sofisticado! Uma raridade na b [...]
  • Enzo Potel: Oie, Sérgio! Tudo bom? Sempre bom voltar a seu blog e encontrar alguma menção à Flannery O´Co [...]
  • sergio: Delma, Minha esposa tem um blog. Como esse assunto é mais fácil de ser tratado de mulher para mul [...]
  • sergio: Dailza, Minha esposa tem um blog. Como esse assunto é mais fácil de ser tratado de mulher para mu [...]