Posts Tagged ‘beleza

“Cristo Morto” (1521), de Hans Holbein   Dostoiévski morreu há 135 anos. Uma das suas frases mais célebres é “A beleza salvará o mundo”. Ainda que tenha sentido mesmo isolada, porque desejamos que a beleza conquiste mais espaço, tempo e importância (quem livremente opta pelo feio?), convém lê-la no contexto. O conterrâneo Alexandre Soljenitsyne diz […]

Todo ano, na liturgia das Horas do tempo de Quaresma, volta a me provocar um paradoxo que se encontra nas Vésperas de segunda-feira da segunda semana do Saltério. Aqui, uma ao lado da outra, estão duas antífonas, uma para o tempo da Quaresma, outra para a Semana Santa. Ambas introduzem ao Salmo 44, mas antecipam […]

Urbano Medeiros é um de meus mestres. Músico, místico, um homem escondido, daqueles que quase não existem mais. Urbano é uma das poucas reservas de silêncio, música e poesia do Brasil! Eu gostaria que todos os que acompanham O Camponês conhecessem o trabalho de Urbano Medeiros. Podemos começar pela palestra abaixo e depois vocês podem […]

 (por Silvério Duque)     para Ana Carolina Miranda & Darlan Zurc   “Eau, quand donc pleuvras-tu? Quand sonneras-tu, foudre”. C. BAUDELEIRE     Lembro-me que, em um de seus mais famosos poemas, Charles Baudelaire nos fala de um cisne que, fugindo da morte certa, ergue suas asas em clamor e repreensão aos Céus, num […]

Sinfonia

In: Perplexidades

6 set 2015

“A verdade é sinfônica”. (Hans Urs von Balthasar)

***   Um dica de Carlos Magno T. Ribeiro

1. Tarde Te amei, oh Beleza tão antiga e tão nova… Tarde Te amei… Trinta anos estive longe de Deus. Mas durante esse tempo algo se movia dentro do meu coração… Eu era inquieto, alguém que buscava a felicidade, buscava algo que não achava… Mas Tu Te compadeceste de mim e tudo mudou porque Tu […]

THE BEAUTY OF THE DAYS GONE BY (Van Morrison) When I recall just how it felt When I went walking down by the lake My soul was free, my heart awake When I walked down into the town The mountain air was fresh and clear The sun was up behind the hill It felt so […]


"A religião não era o ópio e sim a poesia da humanidade".

(Harold Bloom sobre Flannery O'Connor).

  • alice franca leite EX´-Cafezeiro: Gosto demais dos autores católicos como Lucio Cardoso:passei mais de 3 anos ruminando o seu Diário [...]
  • sergio: Olá querido, Enzo! Tudo bem!Seu blog faz muita falta! Era charmoso e sofisticado! Uma raridade na b [...]
  • Enzo Potel: Oie, Sérgio! Tudo bom? Sempre bom voltar a seu blog e encontrar alguma menção à Flannery O´Co [...]
  • sergio: Delma, Minha esposa tem um blog. Como esse assunto é mais fácil de ser tratado de mulher para mul [...]
  • sergio: Dailza, Minha esposa tem um blog. Como esse assunto é mais fácil de ser tratado de mulher para mu [...]