Posts Tagged ‘poesia

“servivit quoque Baal et adoravit eum et inritavit Dominum Deum Israël juxta omnia quæ fecerat pater ejus” Liber I Regum, 22 – 54   Tu estás agora em tua cama. O ar condicionado opera normalmente, trocando por ar fresco o teu ar quente; tens na janela uma vista do mar ou talvez de outro prédio, […]

Os livros são perigosos porque são aceleradores e intensificadores da nossa experiência humana, abrem portas e janelas que nem sequer sabíamos que existiam, são surpreendentes encontros de vida. Ao mesmo tempo são cúmplices inesperados da nossa aventura humana. Cada um de nós é também os livros que leu, os autores que encontrou. Os livros são […]

  O Cristo não é um belo episódio da história ou da fé:  nem o clavicórdio nos dedos da luz, nem o monocórdio chamado da Cruz. O crucificado chamado Jesus é o encontro marcado entre a solidão e o significado  do teu coração: de um lado teu medo, teu ódio, teu não; do outro […]

Tenho medo de ficar sozinha,Minha mãe sai pela portaE eu fico encolhidinha.  Clara de Souza, 3 de maio de 2016 Imagem:”Esta menina perdeu a mãe na guerra. No pátio do orfanato desenhou-a com giz e aconchegou-se num colo que não existe mais, deixando fora as sandálias para respeitá-la, como manda a cultura oriental ao se […]

Soneto LVIII

In: Poesia

24 jul 2015

Carlos Heinig As alças sempre doiradas da aurora Escondem longos braços do infinito… Como o mundo de opalas tão aflito, Que ronda seus os tempos sem demora. Com corpo revestido de granito, Colide o ontem, transforma em agora, E o hoje vai fazendo ser outrora, É a forma de permanecer conflito. Imensa a Terra e […]

O leitor é um fingidor Finge tão completamente Que chega a fingir que é sua A dor que o poeta sente

“Poesia (seja de que natureza for e em qualquer circunstância) é como tentar lembrar uma música que você esqueceu. Todas as correções são tentativas de se aproximar. Escreve-se um poema porque o poeta teve uma súbita visão – que dura um segundo ou menos – e ele tenta expressar o todo de que a poesia […]

Postcommunion

In: Poesia

4 jul 2015

Raïssa Maritain   Uno se siente la pequeñísima cosa que es que sabía que era. Ahora se sabe en el espíritu y en el alma y en el cuerpo se ve este vacío con una alegría simple hay una luz en este vacío viene de otro lugar no designa más que este vacío y este […]

Manuel Bandeira Meus amigos, meus inimigos, Saibam todos que o velho bardo Está agora, entre mil perigos, Comendo, em vez de rosas, cardo. Acabou-se a idade das rosas! Das rosas, dos lírios, dos nardos E outras espécies olorosas: É chegado o tempo dos cardos. E passada a sazão das rosas, Tudo é vil, tudo é […]


"A religião não era o ópio e sim a poesia da humanidade".

(Harold Bloom sobre Flannery O'Connor).

  • alice franca leite EX´-Cafezeiro: Gosto demais dos autores católicos como Lucio Cardoso:passei mais de 3 anos ruminando o seu Diário [...]
  • sergio: Olá querido, Enzo! Tudo bem!Seu blog faz muita falta! Era charmoso e sofisticado! Uma raridade na b [...]
  • Enzo Potel: Oie, Sérgio! Tudo bom? Sempre bom voltar a seu blog e encontrar alguma menção à Flannery O´Co [...]
  • sergio: Delma, Minha esposa tem um blog. Como esse assunto é mais fácil de ser tratado de mulher para mul [...]
  • sergio: Dailza, Minha esposa tem um blog. Como esse assunto é mais fácil de ser tratado de mulher para mu [...]